Thursday, May 22, 2014

How to bring your Time Capsule back to life

The following post is written in Brazilian Portuguese since there are already many tutorials regarding this topic in English.
Although I am describing my own experience, there isn't anything significantly new here.
If you are interested in good English materials, you can look at the bottom of the post.

Prefácio

Depois de seis anos de glória, minha Time Capsule finalmente bateu as botas. Como era de se esperar o problema está na fonte de energia. O ponto fraco: dois capacitores que não resistiram aos anos de calor intenso e trabalho árduo.

Comprar um equipamento novo de última geração, com quatro vezes a capacidade do meu atual de primeira geração, me custaria R$1250. Eu diria que é um bom negócio, não fosse por dois detalhes:


  1. o novo design em forma de torre não é prático e não caberia no meu suporte de parede. Para não dizer de gosto duvidoso, infelizmente.
  2. eu sou um acumulador, então não aceitaria com facilidade gerar lixo com um equipamento recuperável. principalmente em se tratando de uma pedra mágica em forma de obra de arte, um testemunho da época gloriosa da Apple de outrora.
A próxima alternativa seria reparar a fonte defeituosa. Procedimento simples, rápido e barato. Como esta é uma característica de projeto desta fonte em específico, com sorte teria que repetir o reparo daqui a 6 anos.

Como não quero contar com a mesma sorte duas vezes, parti para a terceira alternativa: comprar uma fonte nova de outro fabricante, conhecida por ser mais robusta e de maior qualidade. Quem é íntimo dos produtos da Apple sabe que seus equipamentos não são idênticos mesmo dentro de um mesmo modelo. Por inúmeras razões, os componentes de terceiros provém de mais de um fornecedor.

Já que vou trocar a fonte, aproveito também para trocar o disco, para me atualizar com a capacidade da Time Capsule atual e de quebra usar um disco de menor consumo e menor dissipação de calor.

Problema resolvido, não fosse um pequeno detalhe: não gosto de fazer as coisas pela metade. Então já que estamos trocando a fonte e o disco, agora eu tenho que resolver também o aquecimento interno do aparelho para aumentar ainda mais a vida útil da nova fonte.

Como ressuscitar sua Time Capsule

Se a sua TC de primeira geração não liga mais - sem luzes ou qualquer atividade -, as chances são grandes do problema estar na fonte de alimentação.

Até onde eu sei, a Apple trabalhou com dois fornecedores para esta peça: Flextronics e Delta. As fontes fontes da Flextronics são conhecidas por durar manos de dois anos enquanto que as Delta são mais resistentes.

O problema está basicamente na alta temperatura de trabalho desses componentes e na baixa capacidade de troca de calor da TC. O projeto de resfriamento é limitado em desempenho, em favor da estética, e voltado para proteger o disco interno.

Felizmente, mesmo contando com uma fonte Flextronics, minha Time Capsule trabalhou gloriosamente 24h/dia por mais de seis anos seguidos.

Além de substituir a fonte, me propus a substituir também o disco interno e a melhorar, dentro do possível e com mínima intervenção, o projeto de resfriamento.
Time Capsule de primeira geração

Abrindo a Time Capsule

O primeiro passo é utilizar um secador de cabelos de alta potência para aquecer a borracha da base e soltá-la puxando vagarosamente. O segredo é aquecer bastante uma ponta, soltá-la bem devagar e prosseguir dali.

Após remover a borracha, retire os parafusos da tampa de alumínio com uma chave Philips #0.

Remova a tampa de alumínio com cuidado, pois você encontrará resistência do fio da ventoinha conectado na placa lógica.

Desconecte a ventoinha e o disco interno. O disco interno poderá ser sacado após removidos os conectores de força e dados, bem como o sensor de temperatura da ventoinha (colado). Não há parafusos segurando o disco.

Para não danificar o acabamento aconselho apoiar a TC em pano, toalha ou até mesmo na caixa original.
Time Capsule aberta

Time Capsule aberta, em detalhe, apoiada na caixa original

Substituindo a fonte de alimentação

A entrada de força é destacável (conector de dois pinos, puxar para cima) enquanto que a saída da fonte possui dois conectores, um ao disco e o outro à placa lógica. Após removidas todas as conexões, puxe a peça para cima.

Ao retirá-la, o invólucro isolante desmanchou em minhas mãos, provavelmente devido a fadiga de tantos anos submetido a temperaturas extremas. Seja cauteloso ao manuseá-la, os capacitares de alta voltagem são perigosos quando carregados.
Fonte de alimentação Flextronics (abaixo, encapsulamento removido) x Delta (acima)
A nova fonte deve ser instalada em procedimento reverso à remoção. Ainda sem o disco interno, teste o conjunto ligando a TC na tomada. A luz de erro (âmbar) deve-se acender mas a rede WiFi deve subir.

Desconecte a tomada.
Nova fonte instalada

Teste da nova fonte

Arquivando os dados antigos

Se desejar recuperar os dados armazenados na TC antes da baixa de guerra, o momento é agora. Para tanto, reconecte o disco antigo, ligue a tomada, conecte um disco USB externo e use o Airport Utility para realizar o arquivamento.

Você vai precisar de bastante paciência... No meu caso a estimativa foi de 9h de duração.

Após o término, desligue a tomada e remova o disco interno novamente.
Disco externo conectado para arquivamento
Procedimento para arquivamento no Airport Utility do iOS

Substituindo o disco interno

Para substituir o Seagate de 500GB original, comprei o disco "verde" de 2TB da Western Digital. Esta linha consome menos energia, produz menos ruídos e esquenta menos - em detrimento do desempenho. Mesmo assim, o desempenho do disco é ainda maior do que a capacidade de banda do WiFi, o que faz dessa troca uma excelente barganha.
WD20EZRX
O novo disco deve caber perfeitamente na baia e, após conectados os cabos, não se esqueça de instalar os parafusos de fixação do disco antigo. Esses parafusos se encaixam em suportes de borracha na tampa de alumínio. Como estavam bem atarrachados e eu não tinha uma chave longa para o serviço, tive que apelar para uma chave de precisão + alicate.
Removendo os parafusos de apoio do disco antigo
Note que será necessário inicializar (formatar) o disco utilizando o Airport Utility.  Este procedimento é simples, não está contemplado aqui, e pode ser realizado como última etapa.

Melhorando o sistema interno de resfriamento

A solução consiste em redirecionar a saída de ar, abrir uma entrada de ar externa e alterar o controle para monitorar a temperatura da região mais critica: a fonte, e não o disco, como é feito atualmente.  

Repetindo, em tópicos:
  1. alterar o controle da ventoinha para monitorar a fonte
  2. redirecionar o fluxo de ar da ventoinha
  3. abrir uma nova entrada de ar
Alguns tutoriais sugerem que se elimine o sensor de temperatura da ventoinha e refaça o cabeamento de controle para que a mesma funcione o tempo todo, mas em baixa rotação. Eu preferi escolher um local mais "quentinho" para o sensor, na esperança de que a ventoinha atue por mais tempo.

O local escolhido foi um dissipador de metal interno na extremidade traseira da fonte de energia.
Sensor de temperatura reposicionado dentro da fonte
A seguir, a ventoinha foi removida da tampa de alumínio - cortei os pés de fixação - e rotacionada 90 graus para que o fluxo de ar passe por dentro da fonte de alimentação. Note que o lado da etiqueta fica para cima.
Ventoinha reposicionada para o fluxo de ar atravessar a fonte
Optei também por tampar o lado oposto da ventoinha para que não haja desvio de ar por ali. Usei papelão por baixo do silver tape para não deixar cola exposta à poeira.
Use a embalagem do seu espresso preferido

Isolamento final da parte inferior da ventoinha
Para abrir uma nova entrada de ar utilizei uma serra copo de 51mm de aço bi-metal. O furo pode ser feito ao mesmo tempo na tampa de alumínio e na borracha da base.

Certifique-se de utilizar alguma proteção entre a tampa e a borracha da base para que o pó não chegue à cola pelos furos do alumínio. Você pode usar uma sacola plástica, papel, etc. Não utilize filme plástico de PVC ! Eu cometi este erro fatal e o filme acabou se fundindo na cola.

Utilizei lixa de parede para fazer o acabamento das rebarbas do metal. Já para borracha, um estilete comum.
Entrada para entrada de ar ambiente
Para proteger o aparelho da entrada de insetos e poeira, usei uma grade de proteção com filtro de poliuretano, retirados de um filtro de ar automotivo de alta performance.
Filtro automotivo Inflow desmontado em três componentes, fora do quadro
A grade do próprio filtro foi recortada com alicate e presa na tampa de alumínio com silver tape. A espuma pode ser colada com um pouquinho de silicone pelo outro lado da grade.
Steve Jobs que me perdoe, mas aqui o importante foi ficar bonito do lado de fora

Instalação da grade concluída

Instalação do elemento filtrante concluída

Conclusão e investimento

A fonte e o disco custaram no exterior, sem contar impostos ou frete, respectivamente US$65 e US$95. Economia excelente em relação à compra de uma nova TC.

Mas além dessas peças, precisamos também das ferramentas...

Para abrir o buraco é preciso uma serra copo (R$50). Como as lojas de ferramenta aqui no país fazem vergonha, não consegui encontrar a serra copo e o adaptador para furadeira compatíveis. Um era de uma marca e outro de outra. O jeito foi comprar um kit inteiro com 6 serras de diferentes tamanhos e os adaptadores por R$170. Além disso são necessários também dois grampos sargentos para manter a peça de alumínio imóvel durante o furo (R$30 cada).

O kit de serra copo serve apenas em furadeiras com mandril de 13mm. As furadeiras de hobbistas (aquelas mais baratas que geralmente temos em casa) são de 10mm.

A primeira alternativa é comprar uma nova furadeira de 13mm e ficar R$300 mais pobre. A segunda alternativa é trocar o mandril da furadeira atual por um maior por cerca de R$10. Mas vai saber onde se encontra mandril avulso de 13mm por aqui...


O filtro de ar automotivo custa cerca de R$100, mas esse valor não entra na conta visto que aproveitei o filtro descartado do meu veículo. Caso não tenha um desses usado, pode utilizar filtro de gabinete, de aspirador de pó, etc. Use a imaginação !


A experiência foi positiva, o passa tempo agradável e a economia razoável. Além de tudo, minha consciência ambiental está limpa... E não precisarei praticar o desapego :) 

O senhor do tempo está de volta ao trabalho

Referências

Fan Modding My Time Capsule
Using a Hole Saw On my Apple Airport Time Capsule
Apple Time Capsule Repair
The home of the Long-Time Capsule...
iFixit repair guides

12 comments :

M Blesa said...

Ótimo post Igor! Por favor, por acaso você teria para recomendar alguma prestadora de assistência em apple em SP que pudesse fazer esse reparo no time capsule (tenho o mesmo problema) por um preço razoavelmente justo? Vc faz/faria esse trabalho? Obrigado e abraços, Manuel Blesa (m_blesa@uol.com.br)

iGor Feghali said...

Manuel, depende do que você entende por "justo". Somente a fonte, comprada no exterior com frete e imposto, sai por cerca de R$400. Adicione a isso a mão de obra e o lucro da assistencia, creio que ficará economicamente inviável. Se for pensar em uma autorizada Apple, até onde eu sei nenhuma costuma fazer esse tipo de reparo.

Se colocar todos os custos na ponta do lápis, eu gastei mais neste reparo (fonte, disco, refrigeração, materiais e ferramentas) do que o custo de compra de uma nova. Mas fiz pelo passatempo, diversão, aprendizado e pelos outros motivos explicados no post.

Você pretende trocar somente a fonte ?

M Blesa said...

Agradeço seu retorno e comentários Igor. Sim a minha idéia era considerar a troca da fonte que me parece resolveria o problema.

carolina peres, designer/fotógrafa said...

Olá Igor, você recomenda este reparo ser feito por pessoas que não são especialista (no caso, eu)? É simples como parece na sua explicação ou necessita de conhecimentos prévios? Obrigada.

iGor Feghali said...

Carolina, você precisa apenas de noções básicas em manuseios de componentes eletrônicos, visto que neste reparo não há soldas. Cuidado com a estática (evite ao máximo tocar nos componentes eletrônicos) e com os curtos (não encoste metais e ferramentas nas trilhas e contatos), não aproxime imãs, celulares, etc.

Muito cuidado ao manusear a fonte antiga, ela possui capacitores de alta voltagem que podem permanecer carregados mesmo após removida a tomada. Para minimizar os riscos é bom deixar a TC "descansar" fora da tomada por um longo período antes de abri-la (de preferência mais de um dia).

O mais frustrante provavelmente será remover a base de borracha sem danifica-la (é necessário muita paciência) e o mais difícil, conseguir uma fonte nova para substituição. O resto é remover parafusos e conectores.

carolina peres, designer/fotógrafa said...

Obrigada pelas dicas iGor, voltei a ter esperanças em ressuscitar meu TC, achei que não tinha como fazer isto!

Paulo said...

Colega, a minah TC é identica a sua e a fonte foi para o saco também. Onde comprou a sua fonte? Tem um link?

iGor Feghali said...

Comprei aqui:

http://www.amazon.com/gp/product/B00ICPQM2K/ref=oh_aui_detailpage_o00_s00?ie=UTF8&psc=1

SP Marcio said...

Caras ... To quebrado de grana e não queria arriscar o investimento... perdido por perdido eu segui um post do youtube para trocar o capacitor da fonte e deu certo... por 20 Reais o meu time capsule renasceu!!! segue o passo a passo https://www.youtube.com/watch?v=4x5Qab8DJyo , comigo deu muito certo, vamos ver qto tempo mais de vida ele tera!!
ABs.

iGor Feghali said...

Muito bom saber Marcio, minha fonte antiga ainda está guardada aqui ;)

Geralmente os capacitores são os primeiros a morrer mesmo, nesse caso eu aproveitaria a oportunidade para utilizar capacitores com maior tensão máxima.

Abraços.

TheGhostRider said...

iGor (mantive até o jeito de escrever...)
Sensacional o q vc fez !
Achei essa sua dica por acaso, por meu TC parecer estar morrendo. Também depois de muitos e muitos anos me servindo !
Exatamente hj , fui desligar o meu Time Capsule , e ele acende por alguns instantes os led´s das interfaces, dá um sinal de vida que está acionando a ventoinha e apaga por completo...
Não me pareceu que seja alguma coisa na fonte mas estou esperando ele esfriar por completo (tava quente a beça) e tentar novamente por a energia nele.
Caso contrário, vou brincar com o secador de cabelo pra tentar ver o que se passa lá dentro e caso necessário, trocar os capacitores e furar o meu TC pra ventoinha trabalhar melhor.
Na verdade, estou escrevendo muito mais pra elogia-lo e agradecer a esperança ...
best regards,

Gilson

iGor Feghali said...

Gilson, espero que as instruções possam ajudá-lo. Não se esqueça de nos manter informados.

A minha TC está firme e forte até hoje.

Grande abraço e boa sorte no reparo.